/ março 19, 2017/ Eu, Intimidade, Lembranças

Mal acordei no sábado de manhã, quase atrasado para buscar o guri, me deparei com duas jabuticabas enormes me observando, acompanhados de um sorriso amarelo repleto de carinho. E só então caí em mim, que eu havia acordado de um sonho para outro sonho.

É estranho estar com alguém com quem gostaria de estar há meses atrás e ter visto o relacionamento ruir sob meus pés. Ao mesmo tempo é delicioso passar esse tempo e sonhar, sonhar e sonhar. Fazer planos, criar perspectivas, sentir um futuro possível se aproximando.

Só que não. Foram tantas as vezes de idas e vindas, entre remembers e tentativas, que a insegurança bate forte no peito e deixa aquele vazio ecoando na mente. Um vazio gigantesco, com uma corda bamba que o atravessa e eu, apenas andando sobre, vagarosamente, à procura da travessia. O mínimo deslize e ali eu cairia, desta vez sem voltas de ambos os lados.

Inseguranças à parte, tentei preencher a mente com outros assuntos. Trabalho, meu filho, ela, o almoço, um passeio, e… Assim foi o sábado, um dia cheio de risos e sorrisos, gargalhadas gostosas de E (meu filho) e M (o filho dela). É tão gostoso sentir essa alegria fluindo entre as crianças.

Good feelings, essa é a meta. Energias boas, puxam energias boas. E vamos ver onde a toca do coelho nos leva….

Share this Post

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>
*
*